Amigo Germano
Associação Beneficente
Home
EspiriTEEN
Institucional
Mensagens
Notícias Importantes
Palestras do Mês
Pensamentos  Frases
Visita Virtual da Casa
 
Cadastro dos Trab.
 
Fale Conosco
 
 
:: Artigos»

________________________________________________________________

 
OS ERROS NOSSOS DE CADA DIA

Diz um velho ditado: “errar é humano, persistir no erro é burrice”. Concordo em gênero, número e grau que errar é humano. Discordo na mesma proporção de que é burrice, pois, como cobrar de alguém a capacidade de percepção do erro? E se tem essa percepção, como cobrar uma atitude? Talvez ela ainda não despertou a sua consciência para os reais e verdadeiros valores da vida, que nada mais são do que os Cristãos; talvez ela não tenha a força suficiente para isso. 

É humano errar porque estamos humanos em processo evolutivo e de depuração da alma. Somos espíritos criados para eternidade(1), mas, estamos vivendo em corpos que nos possibilitam essa evolução(2), a qual acontece prioritariamente através de erros e posteriores acertos. 

Mas, o que é errar? Errar é estar distante dos ensinamentos de Jesus(3). Em termos práticos, erramos quando julgamos nosso próximo, quando danificamos nosso corpo material e espiritual, quando buscamos vingança, quando matamos, quando traímos, quando somos falsos, quando desprezamos os nossos semelhantes, quando denegrimos um irmão, enfim, tudo aquilo que vai contra ao que Cristo nos deixou e que insistimos em não aceitar e menos ainda vivenciar. 

Se pensarmos nessa óptica de que errar é humano, temos a princípio dois caminhos a seguir: o primeiro é continuar errando, pois, já que é normal errar e que todo mundo erra, por que se preocupar; o segundo é aprender com os erros, especialmente com os que nós cometemos. Digo especialmente com os que nós cometemos porque não podemos falar daquilo que não vivemos; não podemos falar da vida do próximo. E se aquela situação que julgamos acontecesse com nós, como reagiríamos a ela? Os mais evoluídos, ainda muito raros neste planeta, até aprendem através da observação, mas, nós, no estágio de imperfeição a qual nos encontramos, aprendemos é pela dor mesmo!  

Baseado neste segundo caminho, o ser erra, tem a percepção do seu erro, refleti sobre ele, busca soluções, tenta repará-lo e, então, ao invés de ficar procurando culpados e se lamentando, aprende com ele. E quando aprendemos, dificilmente caímos no erro novamente, pois conseguimos assimilar aquele aprendizado. Ao lidarmos com situação parecida iremos nos recordar do então vivenciado e aprendido anteriormente, pois conseguimos despertar-se para ele. 

Abordando esse mesmo caminho, utilizo novamente outro ditado: “caiu? Então levanta e segue em frente!”. Mas, segue em frente refletindo. Segue em frente porque ficar parado remoendo o que aconteceu não modifica em absolutamente nada a situação; nem a sua, nem a do outro e nem a do mundo. Segue em frente porque é necessário cair para que possamos aprender a perceber a verdadeira essência da vida. Segue em frente tentando melhorar, buscando soluções, dividindo experiências, doando palavras, e principalmente aprendendo com as situações vivenciadas(4).Deixemos o passado no lugar dele, que é no passado, e pensemos em como melhorar o presente para que tenhamos um futuro melhor. 

No universo existe uma possibilidade imensa de erros! A todo instante estamos vivenciando experiências que nos levam a eles e que nos fazem, ou não, percebê-los. E nós caímos nelas! Eu, você e o outro! TODOS caímos nessas situações! Mas, se caímos, qual o problema? Fiquemos tranqüilos que Deus não vai nos mandar queimar no mármore do fogo do inferno(5). Ele sempre nos proporcionará um novo dia, uma nova chance de recomeçar, uma nova oportunidade de aprender e reparar(6). Ele sempre irá nos amparar, nos guiar, nos orientar, nos apoiar, nos levantar, nos ajudar a seguir em frente sempre de cabeça erguida. 

Portanto, se errou, seja qual tenha sido o erro, não permaneça mais nele e faça tudo quanto possível, e até o impossível também, para repará-lo. Busque, inclusive, reparar na prática, pois palavras sem atitudes são apenas palavras; é apenas um alfabeto dito oralmente ou escrito. Diante disso, nos vemos como criaturas humanas permitindo-se o direito de errar, mas não permitindo o conforto de permanecer no erro, pois já teremos consciência de tais fatos. 

A partir de hoje, sugiro que não mais nos foquemos na parte ruim e triste dos erros que cometemos, nos afundando em depressões e num mar de lágrimas ou de revoltas. Comecemos a refletir mais em como podemos modificar nossa situação em busca da nossa evolução e da evolução do planeta. Coloquemos as palavras AMOR(7) e CARIDADE(8) em ação... e tudo a nossa volta se modificará, começando por nós mesmos. 

Fechamos esta reflexão dizendo que errar é humano, persistir no erro é falta de consciência e aprender com ele é sabedoria! Quando passamos a viver e a sentir, e não somente a pensar assim, conseguimos ter uma vida mais calma e tranqüila, consciente de que todos estão propensos aos erros, mas, também, de que todos têm a capacidade de modificá-los, sempre com o auxílio do mais alto. Deus está conosco! E nos ama! Assim como devemos amá-lo, amar a si mesmo e amar ao próximo! 

Referências:

(1)     O Livro dos Espíritos – Livro Segundo: Capítulo I: Dos Espíritos, item Origem e Natureza dos Espíritos, questões 76 a 83.

(2)     O Livro dos Espíritos – Livro Segundo: Capítulo I: Dos Espíritos, item Progressão dos Espíritos, questões 114 a 127.

(3)     O Evangelho Segundo o Espiritismo – Capítulo XVIII: Muitos os chamados e poucos os escolhidos, item Reconhece-se o cristão pelas suas obras e O Livro dos Espíritos – Livro Terceiro: Capítulo I: A Lei Divina ou Natural, item O Bem e o Mal, questões 629 a 646.

(4)     O Evangelho Segundo o Espiritismo – Capítulo X: Bem aventurados os que são misericordiosos, item Aquele que estiver sem pecado, lhe atire a primeira pedra e Evangelho de São João: Capítulo 8, vv. 3 a 11.

(5)     O Livro dos Espíritos – Livro Quarto: Capítulo II: Penas e Gozos Futuros, item Intervenção de Deus nas Penas e Recompensas, questão 963.

(6)     O Livro dos Espíritos – Livro Segundo: Capítulo IV: Pluralidade das Existências, item Da Reencarnação, questões 166 e 167 – Livro Quarto: Capítulo II: Penas e Gozos Futuros, item Expiação e Arrependimento, questões 991 e 992.

(7)     O Evangelho Segundo o Espiritismo – Capítulo XI: Amar o próximo como a si mesmo, item A Lei de Amor.

(8)     O Evangelho Segundo o Espiritismo – Capítulo XIII: Que a vossa mão esquerda não saiba o que dá a vossa mão direita, item A caridade espiritual e a caridade moral.

 

Viviane Vasques
José Antonio da Cruz
Catanduva – SP

 « Voltar aos Artigos 


 
© Copyright - 04/12/2007 | Amigo Germano | Associação Beneficente Amigo Germano ®
Todos os direitos reservados.
Rua: Vereador Guido Broglia - Nº. 1183
Fone: (17)  3524 - 6276
Catanduva/SP